Entrevista com Paul Speckmann do Master




A banda MASTER foi formada em 83, uma das mais lendárias e antigas bandas de Death Metal.

Paul Speckmann & MASTER teve um importante impacto no desenvolvimento do Metal Extremo, inclusive sendo uma das maiores influências para bandas como Napalm Death, Death, Benediction, Terrorizer, Nausea, Carcass, Pentilence .

É uma Honra fazer essa entrevista com você Paul,eu tive contato com a banda Master aqui no Brasil, quando vi o LP "On The Seventh Day God Creater...". Em uma loja e o comprei na hora e de lá para cá não parei mais



Paulo Henrique :banda MASTER foi formada em 83, uma das mais lendárias e antigas bandas do Death Metal e teve um importante impacto no desenvolvimento do Metal Extremo , como é para vocé, ser uma das maiores influências para as bandas ve sendo uma das maiores influências para bandas como Napalm Death, Death, Benediction, Terrorizer, Nausea, Carcass, Pentilence entre outras ?


Paul Speckmann :Tudo o que posso dizer é que estou realmente orgulhoso de ter feito parte desta cena . É legal ter estado lá no início do gênero. Nós nunca previmos influenciar muita gente, foi a sorte do destino. Um cara chamado Troy Dixslurp de uma banda mais tarde chamado Sindrome fez uma cópia dos ensaios do Deathstrike em Chicago quando ele era criança, e enviou para Chuck" Schuldiner e isto foi o começo de tudo. Na turnê de reunião do Massacre na Europa, eu era o merchandiser para as bandas e Terry Butler do Six Feet Under me disse que o Death fez um cover da canção canção que eu escrevi para o Deathstrike chamado “ The Truth ” Na primeira turnê do Death. Assim, o mundo fica menor jamais ano para mim. Foi sem dúvida uma honra para mim quando a banda Napalm Death fez o cover da música Master alguns anos atrás em Leaders not followers part 2. Eu tenho que ser honesto quando digo que muitas dessas bandas preferem esquecer a influência que eles são grandes estrelas agora.


Paulo Henrique: Então Paul, como você ve o cenário death metal de hoje e o que você viveu na década de 80, nos fale algumas comparações:

Paul Speckmann : Hoje é uma cena diferente com um monte de gente careca e gordo tocando na cena. No passado a imagem foi tão importante quanto a própria música. Hoje, muitas das bandas parecem caras ordinários da vizinhança. Suponho que idade tem o seu preço e muitos têm retornado recentemente a cena para fazer um dinheirinho rápido. Isto não é sobre metal. Metal é sobre a luta e a sobrevivência do Underground como eu tenho. O Master é e estará sempre lutando no Underground ,isto é realmente o metal. Se fosse por dinheiro Eu e a banda teria desistido há muito tempo. É sobre a criação de música original e compartilhá-lo com o mundo. As bandas no ínício dos anos oitenta tinham estilo e energia ,eram originais. Hoje bandas como” Soulflea”( Acho que ele quis dizer soulfly) estão pulando para cima e para baixo como trapalhões idiotas e chamando-o de Metal. Eu não consigo entender esta merda. Acho que estou velho demais!


Paulo Henrique: Quanto tempo durou a banda chamada Death Strike, e porque a mudaram o nome?

Paul Speckmann : Depois que foram tiradas as fotos do Master, em 1983, no Dia das Bruxas, perdemos o guitarrista imediatamente, pois ele não estava falando sério sobre o Master assim a busca de outro guitarrista continuou. Após cerca de seis meses o Master quebrou depois que o baterista original Bill Schmidt se juntou a outro grupo de Chicago chamado Mayhem . Então Eu formei o Deathstrike com um guitarrista que eu encontrei chamado Chris Mittelbrun. Ele fez o teste para a Master, mas não foi aceite em 1984. No final do ano eu li um anúncio em um jornal musical e chamei esse cara. Ele era perfeito para o Deathstrike. Começamos os ensaios e gravamos a demo The Fuckin Death em janeiro de 1985 logo após o Ano Novo. Em julho de 1985 Schmidt veio rastejando e nos implorou para deixá-lo no Deathstrike. Em seguida, o nome foi mudado para Master novamente Assim Deathstrike ficou em torno de 6 meses, provavelmente.

Paulo Henrique: Quais são as influências para sua música,?

Paul Speckmann : Nós estávamos gostando de bandas como Discharge, The Exploited e GBH .Também fomos fortemente influenciados por Venom e Motorhead. Eu não tenho vergonha de admitir isso. Muitas bandas hoje preferiria esquecer que nunca ouviu falar do Master ou Deathstrike, mas eu sei a verdade.



Paulo Henrique: Você se mudou para a Republica Checa acho que em 2000,há muita diferença em viver nesse País ou nos Estados Unidos?e o Por quê da Mudança?,
Paul Speckmann : Mudei-me para a República Checa para participar de uma banda chamada Krabathor e após a gravação de um projeto com os membros do Krabathor chamado Martyr
Este foi um recorde assassino de gravação, gravamos juntos, e após a gravação o baixista original iniciou um novo projeto chamado de Hypnos. Fui convidado a participar Krabathor em 2000,Vendi todas as minhas coisas ,trabalhei um tempo e me mudei para a Europa. Esta foi a melhor coisa para mim no momento e é claro eu numca deixei a Europa ,exceto para algumas turnês americana em relação ao ano passado.
A Vida na Europa é mais descontraída, em geral, e a cena metal é muito maior aqui. Eu toco em turnês e festivais, bem como em shows únicos a cada ano desde que me mudei para cá. O Master executou mais de 100 shows por ano, nos dias de hoje. Eu queria que fosse mais, mas ainda é melhor do que no E.U.A. um tempo atrás. Nós dificilmente fizemos turnês na América no ínicio e nos anos 90 e fizemos algumas turnês e as pessoas nunca saíram para apoiar a banda. Eles sempre foram utilizados para apoiar as bandas Copycat (Copycat é um termo utilizado para designar aquelas pessoas que copiam o trabalho de outras pessoas e tentam levar crédito por isso.)


Paulo Henrique: Vocês fizeram uma turnê norte americana com Goreaphobia e Dreaming Dead como está sendo para vocês ?
Paul Speckmann : Muitas pessoas vieram para a mostrar apoio a todas as bandas. Os shows foram matadores desta vez e certamente tivemos uma explosão fudida em turnê nos Estados Unidos.A banda Goreaphobia é excelente e o Dreaming Dead estão no caminho também,Hoje em com uma garota na banda , as pessoas acham interessante Liz é certamente uma grande guitarrista é divertido de assistir. Ela tem uma personalidade Matadora juntamente com o pacote.

Paulo Henrique: Vocês anunciaram no website official a arte de capa e e o titulo do novo album, “The Human Machine”. A banda pretende começar a trabalhar esse album após a turne de slave to society?há alguma Previsão de quando será lançado esse disco?
Paul Speckmann : Temos realmente começado os preparativos para o novo CD .Os ensaios começaram ontem com o guitarrista e eu, vamos gravar em 17 de dezembro o CD e deverá ser lançado na primavera, para coincidir com o início do European Tour em 5 de março, na Alemanha. Também temos a turnê na América do Sul que começa em janeiro por cerca de 25 datas. Então, eu estou ansioso para encontrar os fãs nessa região. Quanto há “¨Slaves To Society “temos feito a turnê deste álbum por 2 anos. É hora de soltar a the Human Machine no mundo.
Paulo Henrique: to Society foi lançado em 2007 , como está a aceitação desse albúm pelo público, e o comentário da Mídia ?
Paul Speckmann : Pessoas disseram que este é o melhor álbum do Master desde On The Seventh Day..., e as resenhas para esta obra-prima tem sido bastante favorável para os últimos anos. Foi relançado no Brasil pela Mutilation Records .Então pegue um exemplar para apoar o Underground também : media@deathtollrecs.com Death Toll Records e cesar@insanobooking.com.br atualmente reservam a turnê do Master em sua área no momento


Paulo Henrique: Slave to Society trata de quais assuntos?
Paul Speckmann : É claro que é hora de romper com a Grande máquina e ser sua própria pessoa . Os governantes e a sociedade ditam que eles querem que você seja. É preciso romper com o estigma e ter sua própria cruzada . A Liberdade como sabemos está quase perdida, e se as pessoas não restirem , todos nós seremos escravizados pela máquina humana.


Paulo Henrique: O Master atualmente assinou com a Pulverised Records, nos fale um pouco sobre Como estão funcionando com Pulverised?
Paul Speckmann : As coisas estão indo fantasticamente com este selo Eles são um dos selos mais profissionais lá fora no momento e acreditam verdadeiramente no Master como eu Creio que teremos um longo futuro juntos. Também estou ansioso por uma turnê na Ásia um dia, mais uma vez que esta também é uma posibilidade. Eles estão promovendo a gravação já por vários meses, e estará nas lojas de todo o mundo muito em breve. A promoção é a chave para se obter esse disco para o público.


Paulo Henrique: como você vê a qualidade das gravações, quais foram as principais mudanças que você sente hoje em dia ?
Paul Speckmann : Hoje é mais fácil de gravar com o pro tools todo mundo usa. É muito mais rápido do que no passado.
Antigamente você realmente tinha que saber tocar as músicas antes de gravar. Com fita analógica, você tinha que começar de novo se fodece uma canção.Hoje você pode apertar um botão e corrigir os erros. Eu gosto do jeito antigo, melhor, havia muito mais esforço e concentração envolvido . Isso tornava mais emocionante e desafiadora.

Paulo Henrique : Eu estava vendo que teriam shows do Master aqui no Brasil e me parece que foram adiados para 2010, esta informação é verdadeira?

Paul Speckmann : Sim, a turnê começará em janeiro de 2010. Eu acho que o cara da Vampiria Records no Brasil, decidiu que haviam muitas bandas tocando no Brasil em novembro, assim iremos com outra empresa. Turismo é uma aposta em todos os momentos, assim eu espero que isto tudo funcione com a nova agência que estamos em contato. Eles parecem ser muito profissionais. Então eu só posso esperar o melhor. Nós nunca visitamos o país antes e estou ansioso para estas férias de trabalho.

Paulo Henrique : Sobre o Abomination ,há alguma novidade ,o último material divulgado foi o "Curses of the Deadly Sin"em 1999,Você pretende lançar algum material novo?

Paul Speckmann : O Guitarrista Dean Chioles morreu há vários anos da doença ALS (ALS - também conhecida como doença de Lou Gehrig) e assim Abomination acabou, Curses era apenas as fitas demo de 87 e 88, nada de novo. Eu senti que as gravações demo precisavam ser compartilhadas com o mundo e foram lançadas .O selo desapareceu e roubou todo o dinheiro.

Obrigado pela entrevista Paul, gostaria de mandar uma mensagem aos fãs no Brasil e para o pessoal que visita o webzine:
Paul Speckmann : Estou ansioso para compartilhar meus pensamentos sobre Metal com as pessoas e os agradecer pelo apoio ao Metal e por mantê-lo vivo. Estou ansioso para os shows no Brasil e ansioso para conhecer cada um e dos verdadeiros apoiadores do metal no Brasil. Isso,meus amigos mantem a chama do Metal . A música é muito melhor do que os jogos de guerra da Silly (E.U.A.) e todos outros através do universo que estão a jogando uns com os outros.Acima com a Liberdade e Abaixo com os políticos


Um comentário:

  1. Perfeito, uma das lendas do metal 80. Pena que a divulgação não esta sendo tão grande, quanto eles merecem......

    ResponderExcluir

Apoie o Underground ! Comente o que você achou da Matéria: